8 de mai de 2010

Plantação de árvores nas margens do Ribeirão

No dia 24 de abril a Associação de Moradores da Cidade Universitária (AMOC), estudantes da Escola Curumim e dos EcoBikers, entre outros, realizaram um mutirão para plantação de centenas de árvores na Área de Preservação Permanente às margens do Ribeirão das Pedras (na proximidade da sede da AMOC - Rua Francisco Humberto Zuppi nº 150).

Nesse dia foram plantadas algumas árvores homenageando pessoas que batalharam de alguma forma para a preservação do ribeirão. Foi plantada uma em minha homenagem (foto abaixo) em função da pesquisa que realizei e pela força que dou sempre que chamam para ajudar a defender o rio e falar dos riscos que o afetam. Outro homenageado com uma árvore foi o professor Oswaldo Sevá, um histórico lutador pela qualidade ambiental do Ribeirão das Pedras e outros rios de Barão Geraldo. Torço para que um dia o Ribeirão das Pedras seja motivo de orgulho para Barão Geraldo e para Campinas. Obrigado ao pessoal da AMOC!!

O mutirão contou com a cobertura do jornal da TVB (retransmissora da SBT). Veja o video que foi ao ar.



Apenas uma ressalva quanto a reportagem da TVB. A repórter diz que o Ribeirão das pedras vai parar no rio Atibaia que por sua vez vai abastecer a cidade de Campinas. O fato é que a água que abastece Campinas é retirada do rio antes que este receba as águas (esgoto) do Ribeirão das Anhumas e do Rib. Pedras, que nele desagua. O problema do esgoto lançado por estes ribeirões deve ser sentido nas cidades que são abastecidas pelo rio Atibaia e outras à jusante do encontro das águas do Rib. Anhumas com o Atibaia. A primeira cidade a receber o esgoto do Rib. Anhumas e Atibaia é a cidade de Paulínia.

Árvore plantada em homenagem à Ricardo Dagnino.


Árvore plantada em homenagem à Oswaldo Sevá.


Confira o mapa indicando o local onde foram plantadas as árvores.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...